A terapia floral e a reconstrução da autoimagem

autoimagemHá alguns anos atrás atendi uma paciente, na época ela estava com 34 anos, e queixava-se de acne, que ia do meio do rosto até o pescoço, aparecendo também na testa. Fazia tratamentos com dermatologista e esteticista há muito tempo, sem observar nenhuma melhora.

O dermatologista achava que o problema era emocional. Por isso ela veio ao meu consultório de Terapia Floral.

Na primeira consulta disse que já apresentava acne na adolescência, mas que não era tanto quanto naquele momento. Quando me procurou estava com nódulos inclusos que muito a incomodavam, pelo aspecto estético e pela dor.

Segundo seu relato, há um ano, a acne havia piorado de vez. Dizia-se irritada; que extravasava muito as emoções; que era mandona; que tinha sentimentos de raiva, e contou-me que o pessoal no trabalho sentia medo dela. Estava bastante insatisfeita com sua vida profissional.

Relatava que há tempos atrás havia feito um curso de fotografia, mas que não conseguiu jogar tudo para o ar, e mudar de profissão. Sentia-se só, ansiosa, agitada. Além do que sentia-se nervosa ao ver a pele de seu rosto daquele jeito. Outra queixa era com relação a não conseguir acabar de montar sua casa. Estava separada há dois anos, e continuava morando provisoriamente, o que lhe incomodava muito.

Combinamos que ela não deixaria o tratamento com a esteticista e com o dermatologista, apesar dos tratamentos não estarem surtindo efeito naquele momento.

Dei-lhe numa mesma fórmula de florais, essências para o perdão, perdão daqueles por quem nutria raiva, e perdão por si mesma, por estar naquele estado, com o rosto daquele jeito, favorecendo assim a diminuição do sentimento de culpa. Essências florais para sua irritação e para a frustração que sentia pelas coisas não serem como ela queria que fossem: outras para ajuda-la a criar um sentimento de liberdade interior, não se sentindo mais presa ao que não queria mais para si. Além de essências florais que lhe auxiliassem a enxergar o mundo de maneira mais leve e otimista, estando mais sensível aos sentimentos seu e dos outros; para aprender a ter mais tato nos relacionamentos sociais, enquanto aprendia a colocar limites saudáveis em seus relacionamentos sem precisar usar da agressividade.

Nos encontrávamos a cada 30 dias em meu consultório, onde eu alterava a fórmula de florais de acordo com as necessidades emocionais, mentais, espirituais e físicas que surgissem no período do novo encontro.

Após dois meses de tratamento sua pele apresentava melhoras e ela havia conseguido mudar de apartamento. Ria mais, dizia perceber-se melhor. Não se sentia mais amarrada, como antes. Mas continuava achando-se agressiva.
Dei-lhe desta vez essências que a ajudassem a conectar-se com seu feminino interno e com suas carências afetivas, permitindo que seu lado mais amoroso e doce nutrisse aquilo que nela fosse necessário. Além de manter as essências florais para o perdão, para a melhora da auto estima e de sua auto imagem, e para que ela pudesse enxergar claramente sua vocação e destinação.

Sua pele continuou a melhorar, e os encontros continuaram mensais. Após cinco meses de consulta ela iniciou tratamento ortomolecular, com médica de sua confiança, e fez um curso sobre a Alquimia do Feminino.
Sete meses após a primeira consulta, cortou o cabelo, de forma que todos podiam agora ver melhor seu rosto. Mantinha-se fazendo as limpezas de pele com esteticista, como combinado. Após 10 meses de tratamento, apresentava um pouco de espinhas somente, na faixa de pele embaixo do rosto, entre a face e o pescoço.

Havia retomado o curso de fotografia há dois meses, estava namorando há três meses, e dizia que o namorado elogiava sua melhora com relação à agressividade, e que esta realmente estava menos contundente, mas que ainda necessitava de cuidados.
Continuava reconstruindo sua auto imagem através de uma melhora da sua auto estima.
E nesta ocasião parou o tratamento.

Tempos depois assumiu a profissão de fotógrafa, deixou o antigo emprego, quando fui convidada para uma exposição individual de suas fotografias em espaço cultural. A vida seguiu seu curso.

O interessante nesse caso é que a acne melhorou durante o tratamento, e eu não usei nenhuma essência floral específica para a acne. E isto porque, a terapia floral não trata a doença, a terapia floral trata a pessoa, ajudando-a a encontrar um caminho para a sua cura.

As essências florais atuando nos focos de sofrimento desta mulher melhoraram seu estado geral, emocional, mental, sua autoestima, ajudando que sob menor tensão emocional e mental, ela pudesse reconstruir sua autoimagem e receber outros tratamentos de saúde com eficácia, aproveitando da cura disponível para si, além de buscar escolhas mais saudáveis para sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *