Pão e Poesia

Há uma característica admirável, facilmente percebida, e que indica quando a cura através do uso das essências florais aconteceu: o surgimento de uma alegria genuína, de um sentimento de bondade e ternura crescentes e o desejo de ser útil, segundo o Dr. Edward Bach.

shutterstock_72605074“Na paisagem interior da alma, existe uma alentadora e melodiosa voz da liberdade sempre chamando por nós. Ela nos encoraja a ampliar os limites da integração…não existe cárcere para a alma”

John O’Donohue – Ecos Eternos.

Toda e qualquer uma das muitas essências florais “ao acalmar, aliviar nossas preocupações, nossas ansiedades, nos aproximam da Divindade”, ensina Dr. Bach.

Para o Dr. Bach não adiantava apenas suprimir a doença ou o sintoma que incomodava o paciente, deveria o tratamento oferecido auxilia-lo a resgatar a conexão com sua parte transcendente, com aquilo que em si o ligava à todas as vidas, à natureza e ao Universo, com o Criador, com o seu Divino Interior.

E isto torna a Terapia Floral um tremendo recurso para aqueles que desejam além da promoção da saúde, viver uma vida de mais significado, em conexão com a voz de seu coração.

Mas quem vem ao consultório de Terapia Floral nem sempre sabe que existe essa opção de bem viver, promotora de muita serenidade e mais saúde.

Via de regra chegam no consultório de Terapia Floral motivados pela necessidade de cuidar de estados de ansiedade, de insônia, de tensão, de tristezas ou da exaustão. Descrevem sua rotina como sendo enfadonha, e costumam não entender bem por que se encontram em tal estado mental e emocional, afinal “fazem tudo” o que pensam que precisa ser feito em busca do bem estar.

Muitos dizem que se sentem ocos por dentro, que levam uma vida sem poesia, sem alma, que se sentem vazios e que mantém os laços afetivos ou profissionais por medo ou inércia, mas que estes não lhes causam sentimento.

É como se por dentro tivessem se tornado frios e inacessíveis. Agem como máquinas, produzindo apenas por produzir ou motivados pelas necessidades sociais, familiares, porque aprenderam que isso é viver, que isto é o que se deve fazer para estar bem.

Mas descobrem que na prática não é bem assim!

Pessoas criadas e educadas ouvindo o mantra de que a felicidade e o bem estar seriam encontrados no sucesso, na fama, com muito dinheiro, poder e reconhecimento, rumam certeiros para o desapontamento, porque ao pegarem o pote, dito de ouro, constatam que está vazio. Isto porque uma vida voltada para os interesses físicos e materiais (sexo, ganho financeiro, culto ao corpo, poder) esvaziam a vida de seu significado maior, do Sagrado, e ela se torna rapidamente insípida, entediante, fria, melancólica.

paopoesiashutterstock_178445708Todos nós precisamos de pão e poesia na mesma medida.

O olhar da Terapia Floral, nessa hora, ao invés de buscar o alívio do sintoma ou da queixa que motivou a consulta (seja ela ansiedade, tensão, insônia, ou outra), busca trazer à tona aquilo que poderá fazer o coração voltar a pulsar no ritmo da vida, da inspiração.

E quando se volta a viver/ser no ritmo de sua vibração essencial, aos poucos, vai-se percebendo mais alegre, mais afetivo com os companheiros de vida, mais paciente no trabalho, mais esperançoso frente a vida, mais positivo. E logo o colorido retorna à rotina diária, trazendo novos contornos de busca pessoal, para além da vida única e exclusivamente voltada para posses, sucesso, prestígio.

Alguns passam a atuar mais no mundo em que vivem descobrindo formas de contribuir, agradecer ou servir aos demais.

A saúde melhora como um todo, porque ela anda por onde flui o amor, por onde o encantamento pela vida está presente, bem como a alegria de viver.

E encontrando esse fio condutor da saúde segue-se um tratamento, abençoado pelas essências florais fortalecedoras do intercâmbio alma – personalidade, tecendo, costurando, bordando, com os fios de afeto íntimo, legítimo, sagrado, verdadeiro, os caminhos da própria cura pessoal, que sempre é de reconexão do coração amoroso, esperançoso, terno, pacífico, com a mente e atitudes, na busca de maior integridade e de uma vida de mais coerência e dignidade.

Aquele estágio final, descrito pelo Dr. Edward Bach, e citado no início deste texto, também encontra amparo na descrição de Patrícia Kaminski, no livro Flores que Curam, quando discorre sobre o quarto estágio de cura da Terapia Floral, a que dá o nome de Reconstelação. Nesse estágio níveis muito profundos de superação, integração ou transcendência acontecem, para além do alívio dos sintomas e queixas iniciais. E se ele é o estágio final é também um Portal para o início de uma nova jornada, de mais liberdade e de maior responsabilidade, quando mais autênticos seguimos um chamamento íntimo de nossa própria guiança espiritual, alinhados com nosso “GPS” interno, e ai são tempos de possibilidades infinitas.

Mas até que cheguemos nele há espaços a percorrer. Onde abrir mão de ilusões, máscaras, subterfúgios e artifícios de auto disfarce, de tensões e ansiedades, medos, ódios, mágoas, vitimismo, orgulho, preconceito, egoísmo e de tudo mais que nos separe de nossa verdade maior e de nosso destino real é necessário, para que despindo o velho jeito de ser possamos estar frente ao nosso verdadeiro Eu.

E a Terapia Floral é uma escolha segura, e nos auxilia a lançar uma luz, como que a de um farol, a nos guiar rumo a esse nosso Eu desconhecido.

Neste outono de 2014, tempo de colheita de frutos e grãos, há um convite que vem da natureza para todos nós, que celebremos nossas vidas, renovando o olhar, reconectando-nos com a paz que vem do simples, do silêncio interior, resgatando o gosto pelo sabor da vida em todas as suas miríades de cor, de textura, paladar e forma, para podermos nos reconectar com a fonte inesgotável de bem estar e alegria. E como ensina Dr. Edward Bach: “A vida não exige de nós sacrifícios impensáveis; pede-nos somente para fazermos a viagem com alegria no coração e para sermos uma benção para aqueles que estão ao nosso redor. Assim, se deixarmos o mundo apenas um pouquinho melhor do que era antes de nossa visita, então teremos cumprido nossa tarefa.”

*Artigo escrito para o Boletim de Outono de 2014 da  empresa Essências Florais – www.essenciasflorais.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *