Vida! Vida! Vida, que seja do jeito que for….

transcendencia

Gosto de pensar a vida, todo dia/sempre, através dos fatos que se desdobram.

A morte inesperada do Governador Eduardo Campos, repleto de projetos e sonhos, filhos, amor, família, saúde, acompanhada das outras mortes dos que com ele estavam no avião na hora do acidente fatal e bem como dos sonhos e aspirações, projetos e planejamentos dos demais, me faz refletir profundamente sobre quão lindo e bom é sonhar e realizar, e quão desnecessário é o querer controlar os eventos da vida e seus desdobramentos.

Para mim os manuais de planejamento e estratégia, às vezes, frente à realidade de cada dia, parecem mais sujeitos ao caos e à incerteza, ao acaso, e ao destino (tudo assim mesmo junto e misturado) e uma tremenda perda de tempo elabora-los para longos períodos.

Uns dizem que ao planejarmos contamos também com um tanto de sorte ou de azar. Penso que sorte e azar fazem parte do mesmo jogo de possibilidades infinitas que a vida apresenta.
E que seguir sua própria voz interior, autentica, amorosa, corajosa e profundamente alinhada com sua natureza seja sempre o melhor a fazer, em qualquer situação.

Assim, bom mesmo é viver, cada minuto intensamente com respeito, responsabilidade, amorosidade e consciência, tratando a vida da gente e das outras gentes, dos outros seres, como sagrados…

Toda vida é sagrada e ainda assim misteriosa demais para nossos sentidos humanos e limitados. Há a mão invisível da própria vida/Deus a decidir novos caminhos o tempo todo…resta-nos respirar e humildemente aceitar, caminhando por onde nos seja possível caminhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *